terça-feira, 12 de junho de 2012

Presente pra mim ;) #3

Como um mortal pode administrar a presença de um anjo em sua vida? Sempre tive a certeza de estar em presença de um ser divino. Desde que a percebi, minhas conclusões sobre ela me assustam. Paixão, fascinação, desejo, admiração, estupefação, e certeza de haver encontrado um raríssimo tesouro, me possuíram de uma vez e nunca mais me deixaram. Já havia escrito para ela isto em outra ocasião. E ao lembrar que já tinha falado a mesma coisa, percebi que nada tinha diminuído, nada tinha mudado, ela continua uma agradável surpresa na minha vida. Um trauma, mas um trauma bom. Tem pouco mais de um mês que nos encontramos, mas parece que eu a conheço desde sempre, tamanha são nossas percepções e experiências vividas juntos, perto, mesmo que distante na maioria das vezes. Ela agüentou minhas dores sem, e meus medos sem saber. Ela me salvou de alguns dos meus piores dias na terra. Se não fosse por ela eu não teria agüentado. Ela me deu descanso e segurança. Mas meus momentos marcantes com ela não foram feitos apenas de consolo. Nos divertimos com os olhares, com os sorrisos, com os toques, com as conversas, ficamos estranhamente felizes apenas de estar em companhia um do outro. Meu único problema continua sendo o meu querer em cuidar dela como a namorada da minha alma. Claro que agora não guardo mais esperanças, não vejo possibilidades estou tão ciente disso quanto estou de que não consigo deixar de gostar dela. Ainda morro de saudades da moça que não pode me ver, mas eu a vejo toda hora em todo lugar. ps : Ontem nos casamos... Vc estava linda e o sonho foi perfeito, acordei mais apaixonado que nunca. 07/07/2010

Presente pra mim ;)) #2

Mergulho em um oceano de incertezas após Lígia estar tão ausente nos últimos dias. Em meio a tantas dúvidas eu tenho algumas certezas. Ela realmente veio do céu. É obvio que ela é que é um anjo. Eu a abracei apenas seis vezes. É pouco, mas o suficiente para saber que não poderia me sentir tão seguro nos braços de um mortal. Toda aquela doçura só pode ter procedência divina. Impossível resistir-lhe. Mesmo tentando, os tantos encantos me roubaram o coração. Não tive escolha a não ser me entregar. Mesmo sendo desastrado e nervoso o tempo todo, eu devo ter feito alguma coisa certa para merecer aquele sorriso que mudava meu dia. Saudade. Como sinto falta dela. Saudade dos sorrisos, dos 2 abraços mal dados, dos 4 abraços bem dados, dos 3 beijinhos que me arrepiaram apesar de ter sido eu que dei, dos olhares sem olhar, das conversas virtuais. Saudade de ela dizer que está online para mim...rsss e também sinto saudade de ela me dizer que gosta de minha voz. rsrs Sinto saudades do homem que ela está fazendo com que eu me torne. Sinto falta do cheiro dela que sinto todas as vezes que acordo. “Onde estará você agora além de aqui dentro de mim...” 06/07/2010

Presente pra mim ;) #1

Me confesso desafeto dessa vida cuja presença dela se faz ausente. Até o céu amanhece cinza, triste, como se a natureza sentisse falta dos nossos encontros, que apesar de terem sido apenas dois, já denunciavam em tão pouco tempo; toda sintonia e alegria só de estar juntos. Sinto falta do meu lar. Não sei para onde voltar quando ela não está por perto. Já comecei a esbarrar nas coisas por não saber mais caminhar sem ela. Mas não tenho escolhas, então... eu apenas caminho, caminho e caminho... Sinto cheiro de angustia. A fragrância no ar do meu mundo tem algo de sinistro. Imagino que a atmosfera dos romances do século XVI possuía tais propriedades. Na literatura desse período o aspecto mais marcante era o de um amor recíproco mais impossível. A dama que se apaixona já está prometida ou casada com outro homem. Só lhes sobra supervalorizar os encontros, os olhares. O compromisso é a prisão a solidão é a tortura. Um amor que nasce morto, mas, de fato só adquire contornos fúnebres literalmente, quando os dois quebram as regras e decidem viver esse amor. George Bernard Shaw escreveu: "Existem duas tragédias na vida. A primeira é de não conseguir tudo aquilo que desejamos. A segunda é de consegui-las." Foi assim com Romeu e Julieta, com Lancelot e Guinevere, Tristão e Isolda e muitos outros. Não quero descobrir se o destino dos livros se repete na vida, mas por ela eu correria esse risco. Enquanto sonho... a realidade me assalta a sanidade sem me deixar esquecer de que hoje é mais um dia sem ela. Sinto sua falta. 05/07/2010 Ps: Recebi esse e outros textos, de um cara que dizia que era apaixonado por mim! Agora resolvi postar.