segunda-feira, 2 de abril de 2012

..

Ao invés de reclamar do meu jeito ou me cobrar mais isso ou menos aquilo, procura saber meus motivos. Conta meus arranhões e descobre o porquê de cada um deles. Me diz se você, depois de entrar no mar e quase morrer afogado, vai sair mergulhando por aí em qualquer água. Liga pra quem me machucou e reclama com eles, ou agradece, porque hoje sou melhor. Cada entrega é menos intensa, até o dia em que não haverá mais entregas. E falta pouco, não sei se isso é ruim, mas eu prefiro. Prefiro continuar intocada até me deixar tocar quando realmente valer a pena. Não tenho medo de dor, só não quero dor por nada, não quero me acostumar e viciar nisso tudo. Quer me ensinar? Senta comigo, conversa, briga, sei lá. Mas não me fere por dentro, isso não. Teve tempo que eu não conseguia imaginar duas pessoas, depois de ter uma história, virarem dois estranhos, acenando um pro outro na rua, sem pararem pra se cumprimentar. Hoje eu faço isso, porque sou o contrário do que era: Entrar na minha vida é pra poucos, sair é pra quem quiser. Tudo é uma questão de ponto de vista, pode-se dizer que eu mudei. Eu prefiro dizer que, aos trancos e barrancos, aprendi.

Marcella Fernanda

domingo, 1 de abril de 2012

Desabafo #4

Sempre foi difícil para mim, acreditar nas pessoas. Principalmente nos homens. Sempre desconfiei de todos. Até do ‘bom dia’ que eles dão, sempre acho que tem terceiras intenções em homens muito educados. Coisa minha sabe!? Não que eles sejam mesmo assim, mas na minha mente doentia eles são. Tenho receio de acreditar, porque no começo, meio e no fim... Sou sempre enganada, mas não por achar que todos não valem um real e no fim eles descobrir valem e eu estava enganada... Mas, por eu tentar acreditar, e no fim eu me dizer: Eu te avisei que ia dar merda!  Ainda não sei por que me engano. Acho que da próxima vez que eu for entrar em uma relação vou avisar logo: olha, eu sei que você é homem e que não vale nada..Mas na hora que você sentir aquela vontade gigante de me enganar, me da um chute por favor!

Ah, obrigada por me inspirar! 
LígiaT. (:

Um caco.

Eu tenho um sorriso bonito.

Eu tenho um olhar bonito.

Eu tenho cabelos bonitos.

Eu tenho um coração machucado, que já foi colado. E é muito frágil.

Meu coração sempre apanha, sempre. Meus olhar bonito, parece um mar de águas transparentes.  Meu sorriso amarelo é menos freqüente.  Minha cabeça, que deveria se preocupar com genética, bioquímica, zoologia, microbiologia, e outras gias, só se preocupa com meu coraçãozinho, em protegê-lo, em curá-lo  e em descobrir a receita que o tornará pedra. 

LígiaT.

Mainha

A culpa é dela. Só pode ser!
Sim, a culpa é da minha mãe, ela que me dizia: Não seja uma menina má. Não cause sofrimento nas pessoas, não engane ninguém, seja honesta, cumpra suas promessas, faça seus afazeres no tempo certo, não machuque ninguém.
Ela não me ensinou a dar o troco! Ela esqueceu de falar, não engane quem não te engana, não machuque quem não te machuca.

LígiaT.