segunda-feira, 25 de julho de 2011

Minhas depressões, repentinas, mas passageiras que nem vento quente no inverno.


Tenho que fugir de mim sou uma péssima companhia para mim mesma. Estou ficando louca, não riam... É serio. Fantasiar as coisas não é de gente normal, talvez ate seja, mas do meu jeito não é, eu fantasio, crio, destruo e sofro como se tudo tivesse realmente acontecido... Continuo não achando graça. Estou realmente com medo e triste. Estou sofrendo calada. Mas não se preocupe, não é nada demais nem novidade é, estou quase me acostumando quase, tenha paciência comigo estou ficando pronta pra encarar tudo de novo, de um jeito novo, com tudo novo, todo dia quando eu acordo para me dar forças eu digo: Falto pouco, eu vou conseguir, só tenho que sobreviver a mais um dia, um de cada vez, estou quase lá. Amém.

Liginha

Desabafo! #1


A presença de certa pessoa me incomoda me vem logo na mente tudo que aconteceu. O quanto chorei, o quando sofri e isso é uma coisa que não gosto de lembrar, mas parece que o fulano faz questão que eu me sinta assim. Me incomoda e não é pouco, ele já tem os amigos deles, a cidade dele, a vida dele, porque insiste em ficar com os meus amigos, no lugar onde moro? Quer me encurralar?  A presença do dito cujo, faz o dia de sol virar noite chuvosa. Some da minha vida. Pára de querer aparecer e pára de se fazer de coitado. Ridículo.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Confesso que,


 preciso de alguém pra conversar comigo, me dar colo, um cafuné e dividir uma panela cheia de brigadeiro.

;)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Há certas horas..

Há certas horas, em que não precisamos de um Amor...
                                                                     Não precisamos da paixão desmedida...
Não queremos beijo na boca...
E nem corpos a se encontrar na maciez de uma cama..
.Há certas horas, que só queremos a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo o estar ali, quietinho, ao lado...
Sem nada dizer...
Há certas horas, quando sentimos que estamos pra chorar, que desejamos uma presença amiga, a nos ouvir paciente, a brincar com a gente, a nos fazer sorrir...
Alguém que ria de nossas piadas sem graça...
Que ache nossas tristezas as maiores do mundo...
Que nos teça elogios sem fim...
E que apesar de todas essas mentiras úteis, nos seja de uma sinceridade inquestionável...
Que nos mande calar a boca ou nos evite um gesto impensado...
Alguém que nos possa dizer:Acho que você está errado, mas estou do seu lado...
Ou alguém que apenas diga:


Sou seu amor! E estou Aqui!





(William Shakespeare)

“Tô esperando o dia que isso vai passar...

 Tô esperando acabar, passar, morrer, sangrar até o fim. Esperando o tempo que acalma chamas com seus ventos de mil pés distantes. Esperando alguém que ocupe, distraia, desacorrente, solte, substitua, torne nada demais. Esperando não sentir mais ódio e nem tesão e nem ciúme e nem saudade. Esperando porque é o que resta mesmo, não é falta de coragem, não é de se fazer, é de se sentir e só. Nem sempre a força de um amor é pra sair às ruas, pra viver histórias. (…) Mas você erra quando acha que alguém resolve um amor. O amor é que, se tivermos coragem pra deixar, resolve aos poucos a gente.”
- Tati Bernardi.

Hoje ouvi minha prima dizer:

Às vezes a gente acha que uma história não chegou ao fim, a gente fica lá tentando fazer com que não morra, fazendo de tudo pra reavivar, mantendo acessa como a chama de uma vela, mas não há esperanças. O tempo já passou, não tem mais nada pra acontecer nessa historia, o fim chegou e você não se deu conta, tentar continuar só vai trazer dor, criar machucados.

Como diria Caio: “é melhor parar um processo em meio, quando sabe que o fim será de dor”.
 

terça-feira, 5 de julho de 2011

A vida quis assim,

Não sei dar nome as emoções. Fiquei confusa hoje, vontade de jogar tudo pro alto! Ah tempos não ficava sem rumo como fiquei hoje, foi até estranho não saber para onde caminhar ou por onde estava caminhando, tudo escuro de repente. Medo, dor, culpa tanta coisa misturada que me assustou, minha primeira reação foi tentar fugir, mas eu não conseguia. Sei apenas de uma coisa a vida me tornou forte, eu não vou me entregar, eu não vou sofrer de novo. Vou levantar a cabeça enxugar as lágrimas e seguir em frente sem transparecer nada sentimento algum, como eu sempre fiz. 

;) Lígiia