domingo, 18 de novembro de 2012

#Desabafo4



Eu não sou a melhor pessoa do mundo, estou longe disso. Cometo erros a todo instante, mas procuro sempre aprender com eles. Faço julgamentos errados, me arrependo e peço desculpas mesmo que seja só na minha cabeça. Mas se tem uma coisa que me irrita, é gente fingindo ser meu amigo, quando eu sei que não é. Me dá um nervoso (como diz uma velha amiga), uma vontade de GRITAR na cara da pessoa dizendo: EI, EU SEI DE TUDO! E as vezes eu sinto vontade de rir também, bem alto até porque é engraçado você ver a pessoa mentindo com a maior cara lavada pra você e você saber a verdade e não poder dizer nada sobre isso. É engraçado também quando, se toca no assunto e a pessoa desconcerta, desmonta na sua frente. Faço xixi de rir por dentro, mas eu queria poder parar de rir e gritar como disse antes, mas só posso desabafar contigo que tá lendo aqui.

Beeijo, Lígia.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

“Você diz que é humilde, mas se exibe quando compra uma roupa de maior valor. Você diz que não liga pra beleza, mas passa maquiagem para se sentir bem. Você adora o frio, mas sempre põe um moletom pra ficar quente. Você acha estranho pessoas que cheiram mal, mas tem preguiça de tomar banho. Você odeia gente melosa, mas não cansa de dizer que ama alguém. Você adora o calor das praias, mas liga o ventilador pra não suar. Você se sente um lixo quando começa a chorar, mas se chateia com qualquer coisinha. Você se acha melhor que todas as pessoas, mas sempre comete o mesmo erro.”


- William Shakespeare.


Eu nunca digo pra ninguém o que sinto, mas, para ele eu disse e digo. Gosto dele. Gosto de beijar ele. Gosto do sorriso tímido dele. Gosto quando ele me diz que sou engraçada. Eu gosto do conjunto. E olha a ironia ele não acredita, ele é igual a mim, desacreditado das pessoas e seus sentimentos. Tudo que digo é pouco, é insuficiente. E eu to me cansando já, que droga. Não quero me cansar de você. De você não!  Mas, não vou ficar repetindo o que eu sinto, até porque acho meio patético. 


Beijo, Lígia! ;)

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

É isso.

O ruim de ficar tanto tempo solteira é que você vê muitas coisas que não devia. Ou que todas deviam ver, não sei. E acredita cada vez menos em relacionamentos, lealdade, confiança. Tem vontade de ser solteira pra sempre, só pra não ter que passar por tudo aquilo que você já conhece de trás pra frente, ainda que ter alguém faça falta todo dia. Porque ter alguém também faz decepção, de sobra. E eu n
ão tô afim. Vejo todos os dias os caras comprometidos, perdendo completamente a linha por aí. Colocando a namorada no bolso, sem o mínimo de respeito ou consideração, pegando amiga, prima, mãe e depois se declarando nas redes sociais. E me dá náuseas, definitivamente, não é isso que eu quero pra mim. Não tô generalizando. Tô lamentando o que eu mais vejo na minha vida. Lamentando a morte gradativa da minha esperança de amor e coisas bonitas. Esses dias minha amiga ficou, pela milésima vez, com um carinha que namora. Eles tem tipo um rolo, o cara é galinh
a profissional, mas ele no facebook é encantadoramente apaixonado, figura clássica. Mais tarde, eu tava ficando com um garoto qualquer e ele recebeu uma sms que dizia "Eu te amo demais, mesmo você não acreditando. Espero pelo dia que vamos ficar juntos pra valer.", ele leu, fechou e me beijou, sem esboçar nenhuma reação. Me deu um alívio enorme de estar ali por estar. E eu não consigo parar de pensar na história por trás daquela mensagem. E em como aquela menina devia tá se sentindo naquele momento, no quanto ela devia ter relutado pra escrever aquilo e se rendeu, num gesto de esperança, mais uma tentativa de fazer dar certo, de felicidade a dois. No quanto ela podia ser ou já foi eu. E, principalmente, no meu medo, de um dia, voltar a ser a menina que envia a sms.








domingo, 14 de outubro de 2012

Ele não ligava, nem mandava mensagem durante semanas. Mas tinha uma mania sacana de aparecer quando ele já tava quase desaparecendo da minha cabeça. Era carência, tava na cara – e faltava vergonha na minha, porque eu sempre acabava cedendo. Não me dava valor e ainda ficava indignada por ele não dar também. Eu aceitava ser a última opção e ainda tinha a cara de pau de espernear e choramingar por ai usando a maldita frasezinha clichê de que nenhum homem presta. Claro que ele não ia prestar, pra que prestar com alguém que transpirava falta de amor próprio? Ninguém ama quem não se ama, ninguém respeita quem não se respeita – doloroso, mas verdadeiro. E quando você não tá na onda de ser amada, ta tranquilo - um supre a carência com o outro e fim de papo. Mas eu tava afim de sentimento, tava super na onda de mãozinha dada e ligação de madrugada só pra ouvir um ''tava pensando em você''. E claro que ele não ligava, a gente quase sempre só pensa antes de

dormir em quem causa aquele nervosinho de incerteza dentro do nosso peito – e eu tava sempre ali, um poço de certezas, não tinha porque ele pensar. Muito menos ligar. E foi ai que eu mudei. Parei de aceitar o último pedaço do bolo, se o primeiro pedaço não fosse pra mim, eu simplesmente ia embora da festa – não me servia mais. E olha só que mágico, ele nunca me chamou pra tantas festas e nunca vi alguém me oferecer tantos pedaços de bolo – a mágica só não foi tão boa porque eu simplesmente não queria mais. Não queria mais mágica, não queria mais bolo, não queria mais ele. Quando a gente passa a se valorizar a gente consegue enxergar nitidamente quanto os outros valem – e ele valia tão pouco, desencantei. Peguei meu coração e coloquei ele lá no topo de uma árvorezinha danada de alta, e vou te falar, nunca vi tanta gente disposta a escalar – homem adora um desafio. Pois bem, que vença o melhor!
100palavras,100amores. (Teca Florencio)

sábado, 1 de setembro de 2012

De que adianta ?

"Afinal do que adianta gritar pra meio mundo ouvir o quanto nós temos que ficar juntos se você não é capaz de mover um dedo pra que isso seja possível? De quê adianta eu dá píti quando mais uma menina idiota vem pedir seu telefone recusando todas as suas circunstâncias (que só eu sou obrigada a lembrar), se você não dá um passo em minha direção pra que elas vejam pra onde o seu destino aponta? De quê adianta ter toda a certeza do mundo de que eu sou a mulher da sua vida se eu não faço parte da sua vida?!"



Tati B.